Brasil, 13 de Julho de 2024
02 de abril de 2024

A digitalização e o mercado da beleza

por Prof. Dr. Robson Trindade

O mercado de beleza está vivenciando uma transformação significativa, tanto no cenário nacional quanto internacional, impulsionado pela digitalização crescente e a mudança nas preferências dos consumidores. O jornalista da CNN Marcelo Tripoli, em Nova York, reflete sobre a sobrevivência e evolução dos espaços físicas em um mundo cada vez mais dominado pelo cenário eletrônico, é especialmente relevante para o setor da imagem e suas vertentes.

No contexto do mercado de beleza, onde a experiência sensorial e pessoal é fundamental, a discussão sobre o papel dos espaços físicas ganha uma dimensão crítica. Lee Peterson, da WT Partners, destacou que, embora as aquisições/compras online sejam preferidas para produtos utilitários devido à conveniência e ao preço, as lojas físicas se destacam quando o assunto é a descoberta e a experiência com os produtos/serviços. Isso é particularmente verdadeiro no setor de beleza, onde sentir a textura, cheirar as fragrâncias e testar as cores são partes essenciais da experiência de compra dos serviços/produtos.

A transformação das lojas físicas em ambientes que oferecem mais do que simplesmente serviços/produtos, mas sim experiências enriquecedoras, parece ser uma tendência emergente. Vai se tornar moda! Elementos como ambientação musical, cafés e experiências sensoriais são incorporados para criar um ambiente onde os clientes desejem passar tempo e explorar. No setor de beleza, isso pode se traduzir em espaços que oferecem consultoria de beleza personalizada, tratamentos exclusivos in-loco, e workshops ou eventos que engajam os clientes de maneiras significativas.

Ademais, a integração da tecnologia, especialmente a inteligência artificial, está remodelando a experiência nos espaços físicos. Ferramentas como espelhos virtuais e análises de pele personalizadas, que utilizam IA, estão tornando a experiência de compra mais interativa e personalizada.

No Brasil, já se observa a adoção desse conceito de flagship store ou "loja conceito", que se destina a ser um destino em si, atraindo os consumidores não apenas para comprar, mas para vivenciar a marca. Essas lojas tornam-se locais de descoberta e engajamento, redefinindo o varejo e fortalecendo a conexão entre as marcas e seus consumidores.

Portanto, enquanto o comércio eletrônico continua a crescer, as lojas físicas no setor de beleza estão encontrando novas formas de relevância, transformando-se em espaços de experiência e descoberta, onde a tecnologia e o toque humano  (Consultoria Visagista), se combinam para criar um ambiente de varejo com atendimento terapêutico, revigorado e encantador, sobretudo humanizado.

 
Mais notícias sobre Coluna da Beleza | Voltar
ÁREA DO EXPOSITOR e MONTADOR
Usuário
Senha
Usuário
Senha