Brasil, 11 de Agosto de 2022
23 de junho de 2015

Sala sensorial em terapia capilar

Sala sensorial em terapia capilar





Sala sensorial em terapia capilar

Por Sandra Rojas



A realidade é a chegada dos serviços de Terapia Capilar nos salões de beleza. Alguns mais estruturados, outros de forma mais discreta. O que podemos comemorar é a crescente consciência profissional sobre a relação beleza x saúde.

Cada vez um número maior de profissionais se aperfeiçoam e se especializam neste assunto. Adquirem conhecimentos de fisiologia da pele e cabelo, diagnosticam e tratam patologias em couro cabeludo e haste.

Aqui, seguem sugestões e dicas a respeito do ambiente físico que recebe este diferenciado serviço: a sala sensorial para atuação em terapia capilar.

Este ambiente deve ser e/ou permitir um diálogo e abordagem reservado ao cliente. Na maioria das vezes a patologia interfere na autoestima e o cliente tem vergonha que a atenção esteja sobre o excesso de oleosidade que apresenta, ou para o frágil estado de suas fibras e muito comum, a calvície.

Nesta sala, temos obrigatoriamente, um aparelho de micro câmera (videodermatoscópio), que nos permite um diagnóstico mais assertivo para as condutas terapêuticas que serão realizadas.

Essa sala deve ser neutra, com decoração clean ou com apelos naturais que são bem vindos. Ter alguns livros, certificações e figuras de 'esquemas/desenhos' de pele e folículo piloso, são importantes aliados para explicar o que acontece no sistema capilar.

No momento do tratamento podemos pensar em um local adequado para bolsas e pertences do cliente. Ao utilizarmos, por exemplo, o aparelho de alta frequência, vamos solicitar que o cliente retire relógios, anéis e correntes, por isso acomodá-los de forma segura e visível ao cliente é mais adequado.

A cadeira de procedimentos, o lavatório com diferenciais de conforto e maca quando for o caso, podem conter o recurso auto-massageador. Quando não for possível adquirir um equipamento com estes recursos, uma simples esteira massageadora desempenha muito bem a função.

Algo de extrema importância é o ambiente que proporcione ergonomia adequada ao profissional que estará com o cliente. Neste serviço passamos em média 40 minutos em contato com o cliente e devemos pensar na forma mais saudável e confortável também para o profissional.

Música ambiente, aroma adequado, iluminação amena ou colorida para o profissional que for capacitado para as técnicas de Cromoterapia.

Pensar de forma holística em relação aos estímulos sensoriais do cliente, para que este novo e atual tratamento seja uma 'experiência' vivida e percebida.

A preocupação com marcas de cosméticos, equipamentos, biossegurança, capacitação, forma que vai ser cobrado este tratamento diferenciado, forma de arquivar imagens e acompanhar a evolução do tratamento, não fazem parte do tema Sala sensorial, mas, são essenciais para realização da Terapia Capilar. Tema para uma próxima conversa.

Fraterno abraço,
Sandra Rojas

Sandra Rojas
Docente da Universidade Anhembi Morumbi. Proprietária do Salão Duetto Hair. Coordenadora do Congresso de Tricologia da Hair Brasil e Coordenadora da ABT - Academia Brasileira de tricologia, em São Paulo.
 
Mais notícias sobre Coluna da Beleza | Voltar
ÁREA DO EXPOSITOR e MONTADOR
Usuário
Senha
Usuário
Senha