Brasil, 21 de Janeiro de 2019
15 de setembro de 2016

Ideias simples funcionam, sim!!

Ideias simples funcionam, sim!!





Ideias simples funcionam, sim!!

Por DEISE GARCIA

E ai, no século 21, quase batendo em 2020 (o tempo voaaaaaa), a gente para e pensa: caramba, inventar o que para crescer (e, sim, ganhar dinheiro...) quando parece que tudo, absolutamente tudo, já foi inventado!? Ressalvas feitas a quem faz parte do seleto grupo de nerds (no bom sentido da palavra), capaz de inventar um aplicativo por dia. Se você que me lê – assim como eu – não nasceu com o talento digital-criador, sabe do desalento de parecer à margem da criatividade moderna, certo? Pois estamos ambos errados. E descobri recentemente isso, durante um evento de lançamento de produto para a imprensa. Parece que tive um tipo de "iluminação". O encontro em questão foi a divulgação de um novo tipo de serviço da Wella, o Hair Contouring, o tal do contorno da maquiagem aplicado à coloração capilar. Pois então, o atual contorno facial (face contouring) nada mais é do que o jogo de sombra e luz na versão 2.0. E o jogo de sombra e luz é um conceito simples – indispensável, maravilhoso, que precisa ser bem empregado, porém, simples na sua concepção. Quando a apresentação feita pelos hairstylists Romeu Felipe, Bruno Lotufo e Ricardo Rodrigues, imaginei: tão simples! Como ninguém pensou nisso antes? E lembrei de mais um episódio ocorrido em outra coletiva para jornalistas, feita pela mesma marca. Eles lançaram um atendimento no salão que incluía adicionar óleo no processo de coloração para preservar e embelezar os fios – coisa que já era praticada instintivamente por vários profissionais que não tinha ainda um protocolo de uso.

De novo: tão simples que ninguém tinha pensado em transformar em um procedimento de fato. E o que eu quero dizer com isso? Se um gigante da beleza como o grupo Wella volta seu olhar para coisas mais básicas por que não podemos fazer o mesmo? Sim, nem só de aplicativos e games vive o consumo humano. E, mais: estamos todos tão focados no mesmo ponto que as coisas menos elaboradas (e igualmente importantes) passam ao largo, sem que a gente note. Então, além (veja bem, além e não ao invés de) pensar apenas em um novo programa de estoque ou um app agendador, volte seus instintos para o que acontece ao redor, pesquise as suas necessidades e veja se não pode melhorar seu serviço. Quer um exemplo? O Mozza Hair, em São Paulo, disponibilizou mantinhas quentinhas e higienizadas para suas clientes durante os dias de frio intenso na cidade. O dono, Mario Mozza, ao ver as próprias funcionárias reclamarem de frio, recorreu ao mais óbvio: vamos aquecer as clientes! Simples, não é? Mas eu que visito centenas de salões nunca fui "aquecida" assim em nenhum outro. Fica a dica.

Quer falar comigo? Pode me escrever: deise@hmemrevista.com.br

Deise Garcia
Jornalista, especializada em beleza e negócios, há 20 anos atua na área. Trabalhou nas revistas Claudia, Manequim, Nova, Elle, Boa Forma, Marie Claire, Nova Beleza, entre outras e foi diretora das publicações Revista A – Ana Maria Braga, Lonely Planet, Estética Moda Cabelo e Cabelos&Cia.





 
Mais notícias sobre Coluna da Beleza | Voltar
ÁREA DO EXPOSITOR e MONTADOR
Usuário
Senha
Usuário
Senha