Brasil, 06 de Agosto de 2021
21 de junho de 2016

As pessoas aprendem mais quando se envolvem

As pessoas aprendem mais quando se envolvem





Tratamento para estrias com peeling

Por Isabel Luiza Piatti

As estrias podem ser consideradas uma das alterações inestéticas que mais assustam quem sofre ou pode sofrer com seu aparecimento, pois é considerada por muitos como de difícil tratamento. Acomete homens, mulheres, adolescentes, gestantes, indivíduos que passam pelo chamado efeito sanfona (variação entre o aumento e diminuição de peso) ou até mesmo quem está com o corpo "em dia". O que muitos não sabem é já existe tratamento estético seguro e eficaz para elas e que a associação com peelings pode ser uma grande aliada nesse desafio.

Então para entender melhor como se dará o tratamento, vamos primeiramente conhecer um pouco mais sobre as características dessa alteração. As estrias são consideradas lesões da pele que se dão pelo seu atrofiamento e rompimento de suas fibras colágenas, aparecendo normalmente em áreas que sofrem estiramento excessivo da pele. São mais comuns no abdômen, glúteos, seios, coxas, culote, flancos, coxas e braços, conforme a situação do estiramento e o sexo acometido, pois, embora sejam mais frequentes nas mulheres, também podem aparecer nos homens. O rompimento das fibras colágenas e elásticas pode ser agravado por situações como obesidade, efeito sanfona, gestação, aumento de massa muscular e a própria fase de crescimento (cujo surgimento se baseia na teoria mecânica), o que confirma que nem mesmo os adolescentes estão livres delas. E, para muitos, as marcas deixadas por essa alteração, inicialmente de caráter estético, podem vir a causar inclusive problemas emocionais, por isso a importância do trabalho do profissional de saúde estética intervindo para amenizar essas consequências.

Dentre os possíveis fatores que podem desencadear o processo inflamatório (quando há a alteração nas fibras de sustentação) estão as causas genéticas, portanto de caráter hereditário, e as causas epigenéticas, que envolvem a interação com o meio e os hábitos do indivíduo. Para muitos autores, o fator endocrinológico é tido como a principal causa dessa alteração (teoria endocrinológica), tendo influência da estimulação adrenocortical. Incluem a ação dos hormônios do estresse (cortisol), adrenalina, noradrenalina e corticoides.

A formação das estrias tem início com um aspecto de vermelhidão no local. Enquanto houver essa aparência vermelha/rosada, em que são conhecidas como estrias rubras (striae rubrae), é sinal de que ainda existe a inflamação e há maior probabilidade de sucesso no tratamento, pois ainda possui fibras elásticas. Na etapa seguinte, tornam-se de esbranquiçadas, chamadas de estrias alba (striae albae), a abrilhantadas (nacaradas), quando já não há mais os anexos com as fibras rompidas. Podem ser em menor ou maior número, sempre dispostas paralelamente umas às outras e no sentido perpendicular às linhas de fenda da pele.

Durante o processo dessas etapas pode-se perceber alguns sinais como prurido, com sensação de repuxamento na pele e coceira; hiperemia, aparência na pele com lesões superficiais; estria recente, visivelmente avermelhada, com superfície mais atrófica; e por fim as estrias albas ou nacaradas, com aparência no formato de cicatriz branca e sem vascularização do tecido no local.

O papel do tratamento estético e uso dos cosméticos é diminuir a formação e a intensidade das estrias. Quando associado ao uso de terapias combinadas, o resultado pode ser ainda melhor. Um exemplo é o peeling, que trabalha com o método "scrub", que em português significa esfregar, simbolizando o processo de esfoliação realizado pelo peeling, com a finalidade de descamar a pele, removendo sua camada mais superficial, conforme proposta dos peelings cosméticos utilizados pelos profissionais de saúde estética em cabine.

Ao estimular a renovação das células da epiderme, bem como a ação do colágeno e elastina, responsáveis pela estrutura e flexibilidade do tecido que dá suporte à pele, esse procedimento se torna muito importante para a recuperação da área estriada. Isso tudo além de melhorar a hidratação e a penetração dos ativos de tratamento.

Considerando os peelings de ação cosmética, tem-se a seguinte divisão:

Peeling mecânico/físico: A esfoliação é realizada por meio da fricção do cosmético sobre a pele, fazendo com que haja uma espécie de "lixamento". O ideal é utilizar produtos que tragam na composição agentes esfoliantes como as esferas vulcânicas, que não provocam microfissuras nem lesões à pele e ainda são ecologicamente corretas.

Peeling Químico: São agentes com poder queratolítico, que levam à microdescamação e consequente regeneração dos tecidos, como por exemplo os cosméticos que contém ácidos.

Peeling Enzimático: É tido como uma alternativa tecnológica e natural à esfoliação química. Age como um peeling versátil, controlado, seguro e de alta performance. Sua atividade queratolítica se dá de forma suave, mas eficaz, a partir das enzimas, como as da romã e da abóbora, que são proteínas consideradas essenciais em todas as funções biológicas do organismo.

Entre os ativos de ação queratolítica indicados para peeling, que podem ser encontrados em produtos cosméticos, estão as Esferas vulcânicas, o Ácido Glicólico, Biofruits, Ácido Mandélico, Pumpkin Enzyme, Renew Zyme, Ácido Salicílico, Ácido Pirúvico, Ácido Kójico, Ácido Láctico, Ácido Tranexâmico, Ácido Ferúlico, Gluconolactona e Extrato de Grapefruit. Já para o tratamento das estrias em si, são indicados os ativos a seguir:

- Hydroxyprolisilane CN: estimula a biossíntese de colágeno, melhora e acelera a regeneração celular, o processo de hidratação, restauração da MEC – matriz extracelular, e reparo do tecido, tudo isso a partir da combinação dos benefícios da reestruturação do silício orgânico com os aminoácidos hidroxiprolina e ácido aspártico, essenciais para a organização e integridade da derme.
- Thalaspheres® de Vitamina C: apresenta papel fundamental no processo de síntese do colágeno. Sua forma estabilizada garante maior capacidade de permeação cutânea.
- Sódio PCA: agente de hidratação fisiológica da pele por excelência.
- Ácido Hialurônico: promove filme de hidratação atuando contra a perda excessiva de água (TEWL), ajudando a manter o equilíbrio natural da pele, melhorando a aparência geral, deixando-a mais lisa.
- Neuroxyl NP: neuropeptídios biomiméticos que possuem ação preventiva e reparadora sobre vários mecanismos degenerativos envolvidos na pele.
- Aquassence: potente hidratante que promove aumento da expressão gênica de aquaporinas, responsáveis pelo transporte de água entre as células, aumentando a hidratação da pele e reduzindo a perda de água transepidermal (TEWL).
- CG-IGF (fator de crescimento insulínico): ativa a proliferação de novas células cutâneas e estimula a síntese de fibroblastos, além da diferenciação de novas fibras de colágeno e elastina.
- Óleo de rosa mosqueta nanoencapsulado: rico em ácidos graxos essenciais (ômegas), promove hidratação, redução da perda de água transepidermal (TEWL), estimula a regeneração cutânea e recuperação da barreira.

Isabel Piatti
Profissioal Aisthesis. Técnica em Estética. Graduanda de Tecnologia de Estética e Imagem Pessoal. Especialista em Cosmetologia. Palestrante no VI Congresso Mundial de Medicina Estética da IAAM/ASIME, 2009, em São Paulo. Palestrante no 8º Congresso Internacional de Medicina Estética e Cirurgia Cosmética em Guaiaquil, Equador, em 2011. Palestrante em Congressos de Estética e Cosmetologia pelo Brasil. Diretora de Treinamentos da Buona Vita Cosméticos. Coordenadora do Departamento de P&D da Buona Vita Cosméticos. Colaboradora técnica de Revistas e sites da área de Beleza e Estética. Autora do Livro Biossegurança Estética & Imagem Pessoal – Formalização do Estabelecimento, Exigências da Vigilância Sanitária em Biossegurança.
E-mail: isabel@buonavita.com.br e www.buonavita.com.br





 
Mais notícias sobre Coluna da Beleza | Voltar
ÁREA DO EXPOSITOR e MONTADOR
Usuário
Senha
Usuário
Senha